Haiti vai adotar currículo brasileiro para a formação de Agentes de Saúde após parceria com a OPAS/OMS

O Ministério da Saúde da Saúde Pública e da População (MSSPP) do Haiti vai passar a utilizar o currículo brasileiro para a formação de agentes de saúde comunitários polivalentes. A decisão foi tomada após a formatura da primeira turma desses profissionais, que ocorreu através de um acordo tripartite entre Brasil, Haiti e Cuba, e que teve a triangulação da OPAS/OMS pelos Programas de Cooperação Internacional (TC41) e Política de Recursos Humanos (TC 57) em Saúde. Conforme documento oficial do governo haitiano, o currículo de formação dos agentes será um documento de referência para as próximas capacitações em saúde comunitária.
"A função nobre da OPAS é conseguir difundir conhecimento e experiências exitosas. No caso de Haiti, o apoio permitiu que o conhecimento acumulado pelo Brasil na construção de escolas técnicas do SUS fosse aproveitado pelo sistema de
saúde do Haiti, não para reinventar a roda, mas para melhorar e adaptar a  experiência a sua realidade”, avaliou o Gerente de Sistema de Saúde da OPAS/OMS, Félix Rígoli.

Após o terremoto ocorrido em janeiro de 2010 em Porto Príncipe, capital do Haiti, os governos do Brasil, de Cuba e do Haiti firmaram um acordo, para o fortalecimento do sistema e dos serviços públicos de saúde e de vigilância
epidemiológica do país devastado pelo tremor. “A participação da Opas/Oms na mediação desse processo de cooperação visa fortalecer a dimensão de cooperação para o desenvolvimento em perspectiva holística, indo além de um esforço
emergencial de ajuda humanitária. Orientação que, deve ser reconhecida com louvor, é adotada pelo governo brasileiro em várias outras iniciativas que, por intermédio do TC 41, encontram-se já em andamento junto a alguns países sulamericanos e africanos lusófonos.”, ressaltou o gerente do Programa de Cooperação Internacional, José Paranaguá de Santana.

A consultora OPAS/OMS e uma das coordenadoras das atividades, Cláudia Marques, destacou algumas das atividades já desenvolvidas na cooperação. “Para cumprir o que foi estabelecido no que diz respeito ao apoio à qualificação de profissionais de saúde haitianos para atuarem na atenção primária à saúde, várias atividades já foram realizadas, das quais se destacam: a missão realizada em junho de 2010 para análise das necessidades de formação profissional técnica em saúde no país; elaboração do Projeto para Formação de Recursos Humanos de Nível Médio que atuam na Atenção Primária em Saúde além de elaboração dos Guias Curriculares para a formação de Agentes Comunitários de Saúde e de Técnicos em Enfermagem”, diz a consultora.

Também foram realizadas oficinas para a preparação de docentes que atuariam na formação de técnicos de nível médio da atenção primária em saúde do Haiti. O Curso de Qualificação Profissional para Agentes Comunitários de Saúde Polivalentes formou 58 alunos, que foram divididos em duas turmas.

A equipe de professores brasileiros foi composta por enfermeiros das Escolas Técnicas de Saúde do SUS da Bahia e do Paraná e por técnicos do Departamento de Gestão da Educação na Saúde (DEGES) além de profissionais da Fiocruz. Também compuseram a equipe de docentes, professores do Instituto Nacional Haitiano de Saúde Coletiva e professores cubanos.

A partir de agora, os próximos passos do acordo tripartite em relação à formação de técnicos de nível médio, incluem a elaboração e implementação do curso de capacitação pedagógica para novos docentes que atuarão nessas formações. Será
organizada uma turma de 30 alunos, sendo 10 brasileiros, 10 cubanos e 10  haitianos. A proposta é que os docentes haitianos atuem como multiplicadores dessa capacitação para outros profissionais do país e que brasileiros e cubanos
atuem como apoiadores do processo.

As atividades de formação de agentes comunitários de saúde polivalentes e de técnicos em enfermagem serão reiniciadas nas regiões de Carrefour e Bon Repos.
Organizaçao Pan Americana da Saúde - Brasil

Fonte: Opas/Brasil